Total de visualizações de página

quarta-feira, 7 de fevereiro de 2018

Quando Nietzsche Chorou - minha experiência e breve resumo do livro :)

Tudo começou quando tive que assistir ao filme para um trabalho de filosofia.

Já havia escutado incontáveis vezes minha mãe falar sobre ele, que era maravilhoso e coisa e tal, mas não esperava tanto.

Nem acreditei quando os créditos começaram a rolar, parecia que eu tinha acabado de começar a assistir!

De cara me apaixonei, e decidi que teria que ler, imediatamente, o livro que inspirou aquela obra maravilhosa.

Pedi emprestado para uma amiga que eu sabia que tinha o livro em casa e, no dia seguinte, já estava com ele nas mãos.

Mas não foi uma tarefa fácil.

Apesar de ter ficado super ansiosa e pela leitura, eu estava no ápice do terceiro ano, naquela correria louca que vocês imaginam, né?!

Por isso, demorei consideravelmente para finalizar a leitura, mas valeu a pena o tempo investido!

Quando Nietzsche Chorou narra o nascimento fictício da psicanálise de uma forma totalmente envolvente e instigante.

Tudo começa quando Lou Salomé, uma jovem e encantadora mulher, procura o renomado Doutor Josef Breuer a fim de conseguir que o médico trate de seu atormentado amigo Friedrich Nietzsche. 

No entanto, não é uma tarefa fácil.

Nietzsche, filósofo que sofre de grandes crises de enxaqueca, já havia passado pelos mais variados médicos e encontrava-se já desiludido quanto ao seu tratamento.

Após muita resistência, Dr. Breuer - que estava em uma situação de fixação sexual por uma paciente - tem a ideia de inverter os papéis: ele se tornaria o paciente e, o filósofo, seu médico.

A partir disso, ambos, aos poucos, conquistam  a confiança do companheiro, dando ao livro uma trama maravilhosa e surpreendente, envolvendo filosofia, psicanálise e uma dose e tanto de humanidade.

Não entrarei em maiores detalhes para não dar spoiler hehe mas recomendo a todos que se interessam por essa área, pois foi assim que Quando Nietzsche Chorou tornou-se um dos meus livros preferidos!


quarta-feira, 10 de janeiro de 2018

Estranho

É tudo tão estranho sem você por aqui
E ainda me questiono se deveria ter pedido pra você ir
Pra seguir a sua vida, que eu não iria mais incomodar
Mas você já está em outra, e ver isso pra mim não dá
Apesar do seu semblante que não me engana
Das suas palavras que concordam com as minhas
De que é difícil encontrar alguém pra confiar
Eu sei lá
Acho que ainda é cedo demais pra dizer se fiz a escolha certa
Ou tarde demais para continuar a tentar

Postou a nossa música, comentou sobre nostalgia
E eu só consigo me perguntar
Será que você se lembra daquele dia?
Com essa memória de elefante, eu duvido que não
Mas vai saber se já tem outra história, outra legenda programada...

quinta-feira, 19 de outubro de 2017

Holocausto brasileiro - resumo

Já pensou em ser mandado para um hospício pelo simples fato de ser tímido? E quando chegar lá, ter que sobreviver recebendo choques elétricos, bebendo água de esgotos e, muitas vezes, comendo ratos para conseguir sobreviver? Ser mandado para um local em que pessoas precisam se amontoar em uma noite de frio rigoroso, afim de tentar amanhecer com vida? Um lugar em que mulheres eram enviadas por terem perdido a virgindade antes do casamento? E lá, ter sua dignidade jogada fora, tendo que passar fezes na barriga para afastar pessoas que dariam choques em uma gestante? Essa era uma realidade do Colônia, hospital que existiu na cidade de Barbacena - MG durante muitos anos. Um lugar em que pessoas eram totalmente desumanizadas. A organização assassinou 60 mil pessoas e chegou a arrecadar pelo menos 600 mil reais com a venda de corpos. Um verdadeiro holocausto. 
Quando comecei a ler, não conseguia acreditar que tudo aquilo poderia ser verdade, mas infelizmente foi. Infelizmente muitas vidas foram perdidas, famílias e futuros foram destruídos. E isso é só um pouco do que a jornalista Daniela Arbex retratou em sua obra. Totalmente chocante, mas real.

terça-feira, 10 de outubro de 2017

Homenagem 2 anos de blog

Escrever é como sobrevoar pelas nuvens
E, lá de cima, observar tudo que acontece
É ser um Caçador de pipas 
E viver em um mundo Extraordinário
É ser Apaixonada por palavras e querer passar 127 horas sem Comer, rezar e amar
A fim de viver apenas naquela Cidade de papel
Sonhando para que, Um dia, possa também atingir o seu Felizes para sempre
É ver O lado bom da vida
Mesmo quando dizem que Tá todo mundo mal
Então, deixe de lado todo o seu Orgulho e preconceito, Faça seu pedido, Conte-me seus sonhos e venha viver comigo mais Um ano inesquecível
Pois não sei mais dizer
Como eu era antes de você!
P.s: Eu amo vocês!

terça-feira, 29 de agosto de 2017

Minha Vida Fora de Série 4 - Perguntas e Respostas (CONTÉM SPOILERS)






Como o livro ainda não chegou em muitas livrarias, atendi os pedidos dos seguidores e respondi as perguntas principais! Espero que gostem!

Veja também:
Melhores frases de MVFS 4: http://livrosepaixoes.blogspot.com.br...
Lançamento do livro em BH: https://www.youtube.com/watch?v=oRxKC...

Redes sociais:
Instagram: @jumacedoq / @livrosepaixoes_
Twitter: @jumacedoq
Wattpad: https://www.wattpad.com/user/estantedaju

Frases de Minha Vida Fora de Série 4

Foto: @jumacedoq / @livrosepaixoes_
Ei gente! Como muitos sabem, o lançamento de MVFS em BH aconteceu a apenas dois dias, mas já devorei o livro todo!

Sabendo que sentiria saudades da história por terminar de ler tão rápido, fui anotando as frases (talvez muitas) que mais me marcaram, e vou compartilhar com vocês! 

Sei que muitos ainda não leram, então se você não gosta de SPOILER, recomendo que não leia, pois pode ter algumas dicas do desfecho.

(Como podem perceber, um certo garotinho teve destaque...)

Um beijo e obrigada a todos que me acompanham! <3


Trechinhos preferidos:


"Aos poucos entendi que, quando nos dedicamos a algo em que acreditamos e fazemos aquilo com paixão, a possibilidade de dar certo é muito maior." - Rodrigo

"E se eu te disser que, ainda que estivesse em outro planeta, você não esqueceria essa pessoa?" - Rodrigo

"Empatia. Se as pessoas soubessem o poder que esse sentimento tem..." - Rodrigo

"Eu também sei que nenhuma garota vai me fazer esquecer a única que eu realmente quero, mas o que você prefere? Ir pra casa, colocar a cabeça no travesseiro e não conseguir dormir por causa das lembranças dela ou se distrair ouvindo musica ao vivo, conhecendo pessoas novas e enchendo a cara?" - Klaus

"Se um dia eu virasse político ia fazer uma lei decretando que estava estritamente proibido sofrer por amor." - Rodrigo

"Eu não sabia mais o que fazer, o que pensar. Só me restava existir." - Rodrigo

"Fugir não vai te levar a lugar nenhum, só vai fazer com que fique dando voltas e voltas dentro de si mesmo." - Rodrigo

"E, aos poucos, tudo que restaria dela seria uma imagem desfocada, como uma foto antiga que encontramos sem querer no meio de um livro, paramos, olhamos, e em seguida devolvemos, sabendo que o melhor é mesmo deixá-la no passado." - Rodrigo

"Eu não me apaixono rápido, só me apaixonei uma vez na vida. Gostar da companhia da pessoa é bem diferente de se apaixonar..." - Rodrigo

"Ou eu estava me curando... ou havia acostumado com a dor." - Rodrigo

"O mundo só vai ser verdadeiramente bom quando o enxergarmos através dos olhos dos animais: sem preconceitos , sem segundas intenções, sem ambições. Apenas com muito amor..." - Rodrigo

"Típico... eu demorava meses para me interessar por alguém e, quando isso acontecia, a pessoa não estava nem aí." - Rodrigo

"Era nisso que eu deveria me apegar, nas amizades! Eu já deveria ter entendido que paixões só traziam aborrecimento..." - Rodrigo

"Não é sempre que a gente encontre alguém que nos impressione." - Rodrigo

"Sabe aquele ditado que diz “antes só que mal acompanhada”? Ele é verdadeiro, pode confiar." - Juliette

"Acho que, se tentar te apagar, não vai sobrar quase nada..." - Rodrigo

"Se aquele fosse um dos seriados a que ela assistia, aquele seria o último episódio. A despedida. O final. E era exatamente assim que tinha de ser." - Rodrigo

"Como eu poderia dividir um espaço com alguém, sendo que por dentro eu estava inteiramente ocupado por outra pessoa?" - Rodrigo

"Que ironia! Como é que tínhamos ido parar no mesmo lugar exatamente naquele dia? Seria um sinal? O destino estava querendo mostrar alguma coisa?" - Rodrigo

"Sim, ela ficaria arrasada. E eu também. Mas eu ia fazer o que precisava ser feito." - Rodrigo

"Eu estava prestes a partir um coração..." - Rodrigo

"Ninho de amor?! Ouvir aquilo quase me fez vomitar." Rodrigo

"Eu não tinha preparo pra fazer as pessoas sofrerem, e aquilo me fazia sofrer três vezes mais." - Rodrigo

"Você acaba de descobrir que teve um filho com o amor da sua vida e está aí colocando obstáculos?" - Antonella

"Ela tinha morada vitalícia no meu coração. Agora eu sabia disso. Por mais que eu a tentasse expulsar, ela permanecia dentro de mim." - Rodrigo

"Quando abrimos mão do que temos, deixamos aquilo disponível para que outras pessoas peguem para elas..." - Rodrigo

"Eu então a abracei e expliquei que nunca esquecemos alguém totalmente. Mas nós superamos." - Jérôme


segunda-feira, 28 de agosto de 2017

Lançamento de Minha Vida Fora de Série 4 :)





Ei gente!  Aqui está a surpresa que prometi a vocês! Nesse vídeo contei como foi o lançamento de MVFDS em BH, para que quem não consiga ir, tenha o direito de saber como foi hahaha. Como vocês sabem, NÃO sou especialista em vídeos, então perdoem os errinhos hahaha. Espero que vocês gostem e me contem o que acharam! Beijos beijos!

OBS.: o vídeo NÃO contém spoiler da história, é falando apenas do lançamento mesmo :)

quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Capítulo 8

Eu poderia jurar que estava sonhando, que iria acordar a qualquer momento e pensar naquelas cenas rindo, já que, até alguns dias antes, acreditava ser totalmente impossível ter qualquer coisa além da maravilhosa amizade que eu tinha com o Artur.

Mas ao ser cutucada pelo menino do sorriso tímido que estava na minha frente, percebi que aquilo era real. Há poucas horas havia beijado meu melhor amigo. E a poucos minutos havíamos revelado que ambos gostariam de investir naquela relação.

- Ei, vou acabar com nosso milk shake se você continuar nesse seu mundo paralelo aí.

 E de repente notei que aquilo estava realmente acontecendo e, apesar da brincadeira, imagino que ele também estivesse tendo essas reflexões malucas, pois o copo ainda estava cheio.

Decidimos ir andando enquanto terminávamos de beber, já que era uma quinta-feira e eu ainda tinha um trabalho pra fazer naquele dia, e, mais uma vez, fomos de mãos dadas.

Da saída do shopping vi meu ônibus se aproximando, mas dessa vez não me importei em perdê-lo, vários ainda passariam por ali. E assim ficamos naquela portaria, tão próximos que já me apertava o coração a incerteza de quando ficaríamos assim novamente.

Eu queria eternizar aquele momento e, principalmente o que eu estava sentindo. Queria que aquele dia pudesse durar mais, porque tudo parecia tão simples e perfeito, e foi o dia em que eu descobri o quanto eu gostava de estar naquela situação, entre risadas, beijos e gracinhas.

Quando percebi, estava brincando com a cordinha que saía do capuz do casaco do Artur, e fiquei sem graça ao lembrar da minha mãe dizendo que eu deveria parar com essa mania de ficar mexendo em coisas que não são feitas para isso (na verdade porque dessa forma eu sempre acabava estragando alguma coisa). Mas encarar os olhos daquele menino do casaco verde água me parecia difícil agora, diante de tantas emoções e inseguranças.

E mais uma vez ele notou a minha inquietação em meio a devaneios.

- Julha, você precisa entender que comigo não tem dessa. Não precisa ficar sem graça e nem pensando que vou te achar uma esquisita - na verdade era exatamente o que eu estava sentindo, mas, como sempre, suas palavras me confortavam e me pareciam sinceras, além de sempre arrancar um sorriso do meu rosto.

- Ok, Artu. Você sabe que sou realmente bem estranha as vezes com minhas manias loucas, mas já que insiste, pode deixar que não vou parar.

Nessa hora puxei a mão dele demonstrando que já era hora de ir, e ver aquela carinha triste quase me fez mudar de ideia. Não me lembrava de ter tido uma despedida tão grande - a ponto de me fazer perder mais dois ônibus, mas cada minuto com ele naquele dia era especial, e nos separar parecia uma tarefa árdua.

Finalmente, quando consegui soltar de seu abraço e partir, ainda pude olhar para trás e vê-lo no mesmo lugar sorrindo para mim.

*

Eu ainda estava no caminho de casa quando vi a luz de notificação roxa piscando, o que significava que o Artur provavelmente já havia chegado em casa, já que morava lá perto. E antes de terminar de ler a mensagem eu já estava rindo novamente.

"Vê se não ri no bus pra não ficar com mais fama de esquisita mas 1min depois que você foi, viro a esquina e dou de cara com 3 colegas nossos, fiquei perdido quando perguntaram o que eu estava fazendo ali e respondi que tinha ido comprar comida pro meu cachorro. Tá, foi uma péssima desculpa, mas queria que eu dissesse que eu estava ali só de bobeira beijando uma Julha?"

E pelo visto aquele seria só o começo do que ainda estava por vir.